Entrevista | Autores Parceiros #3

Good night people! 
Hoje vamos nos divertir com mais duas entrevistas com autores maravilhosos. 
Os dois autores de hoje, são duas pessoas muito talentosas e atenciosas. Tudo que li sobre o trabalho deles foi muito positivo. E mesmo sem ter lido seus livros ainda, já virei grande fã de ambos! 
Nossos entrevistados de hoje são o Fábio, autor de Componentes do Infinito, e o Rondinelli criador da trilogia Oldar.
Então, é com o maior orgulho que deixo para vocês as respostas desses maravilhosos escritores!
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
1. Você sempre gostou de escrever? Quando que o seu talento foi descoberto?
Comecei a escrever aos quatorze anos, no início de forma desorganizada, eram textos simples, com poucos diálogos. Na época eu nem imaginava que poderia escrever um livro, só queria passar para o papel o que estava na minha cabeça. Era divertido e comecei a gostar da brincadeira, então passei a pesquisar sobre forma de escrita, elaboração de diálogos e cenários. Depois de ler muito sobre o assunto resolvi desenvolver um dos meus textos e criei a história de Componentes do Infinito.  

2. Seus personagens são baseados em pessoas que você conhece?
Não completamente, meus personagens são fictícios, mas tendo dar a eles personalidades reais. Alguns são ambiciosos, outros alegres e tem aqueles chatos. Acho que esses adjetivos são essenciais para que os leitores criem afinidades com os personagens e possam torcer por eles ou contra eles.

3. Houve alguma situação na sua vida que gostarias de passar para um livro?
Estou me dedicando a uma saga de ficção onde é complicado colocar situações do cotidiano. Com certeza tem coisas da minha vida que eu tenho vontade de escrever, algumas boas outras nem tanto. Talvez um dia isso também vire um livro.     

4. O que você acha que é o ponto de partida para um escritor?
É complicado, todo mundo cria história em suas mentes, todo mundo tem seus mundos paralelos. O diferencial é que o escritor consegue passar isso para os outros de forma palpável e mexe com a emoção de quem esta lendo. O ponto de partida seria aquele momento em que a pessoa para tudo e começa a se dedicar a escrever e faz isso com paixão.   

5. Para os adolescentes geralmente a parte mais difícil de uma produção textual é elaborar um título. Você acha tranqüilo essa parte? Qual a sua “estratégia” para a criação de títulos?
Criar um título é mesmo complicado, o título deve ser chamativo e descrever bem o que você quer passar com a sua história. Eu sempre começo com títulos provisórios e geralmente mudo no decorrer do desenvolvimento do livro. O livro inicialmente iria se chamar Arauto do Infinito, mas achei que não seria legal e resolvi mudar para Componentes do Infinito, e acho que ficou bem melhor. 

6. Você que elabora as capas para os seus livros ou você compartilha a idéia e confia em um desenhista?
A capa do livro foi desenvolvida pela equipe da editora (Multifoco), eu apenas sugeri que o símbolo fosse colocado na capa. Meu sonho era saber desenhar e fazer as capas do meu jeito. rsrs.

7. Existem outros projetos em pauta?
A continuação de Componentes do Infinito esta bem adiantada e logo saíra do forno. rs. Tenho outro livro pronto, mas ainda precisa ser revisado ou talvez reescrito. Isso é algo que vou decidi depois que terminar a trilogia de Componentes. 

8. Você tem um livro ou autor preferido? Nos deixe uma dica de leitura!!
Sou fã da saga Senhor dos Anéis e no momento estou curtindo muito Guerra dos Tronos, já li o primeiro livro e estou começando a ler A Fúria dos Reis. É um livro que eu recomendo.

Gostaria de agradecer pela oportunidade de mostrar o meu trabalho e pelo apoio. Adorei a nossa parceria e quero deixar um grande abraço para todos os leitores do blog “Foolish Happy”. Muito obrigado!!!!
Fábio Paulo para o Foolish Happy.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
1. Você sempre gostou de escrever? Quando que o seu talento foi descoberto?
Pra ser sincero eu sempre gostei mesmo é de conversar, comunicar, saber das coisas e fazer com que saibam. Obviamente virei um tagarela chato e tive que encontrar outro meio para despejar tantas palavras aí surgiu a ideia de escrever por volta dos nove anos de idade. Comecei com histórias sobre extraterrestres, depois passei para histórias sobrenaturais e por fim me encontrei em casa na literatura fantástica e não consegui mais me desligar desse gênero.

2. Seus personagens são baseados em pessoas que você conhece?
Eu estaria mentindo se dissesse que não são, só que não é que cada personagem seja baseado em alguém específico, contudo, faço um perfil psicológico do personagem e busco em pessoas reais as referências necessárias para dar mais veracidade para o que eu pretendo fazer com os personagens.

3. Houve alguma situação na sua vida que gostarias de passar para um livro?
Minha vida pessoal parece um pouco monótona para se tornar um livro, não sou de viver grandes aventuras ou explodir em ações heroicas. Ainda assim, tenho algumas situações engraçadas e curiosas que parecem um pouco com comédias do tipo pastelão, mas esse gênero está muito saturado no cinema e em livros não cabem muito bem.

4. O que você achas que é o ponto de partida para um escritor?
Antes de mais nada, não se deve escrever pensando em resultados apenas, não podemos colocar pressão demais senão acaba que o texto fica muito forçado e sem sentido, não vai comover um leitor atento. Eu tomo como partida a criação de um ou mais personagens e uma trama entre eles, então vou emaranhando ela, coloco mais detalhes e mais personagens secundários e reviso o texto até sentir que ficou como eu gostaria de ler.

5. Para os adolescentes geralmente a parte mais difícil de uma produção textual é elaborar um título. Você acha tranquilo essa parte? Qual a suaestratégiapara a criação de títulos?
Nunca tive dificuldade em colocar títulos em textos, costumo muitas vezes partir do título para depois desenvolver o texto. Eu não tenho uma estratégia para isso porque parece que os nomes brotam dentro da minha cabeça sabe, assim como os nomes dos personagens, os títulos para textos simplesmente nascem e eu lhes dou vida.

6. Você que elabora as capas para os seus livros ou você compartilha a ideia e confia em um desenhista?
A primeira versão de capa do livro Oldar eu fiz usando desenho em 3D, mas o resultado ficou péssimo, então na versão final que foi publicada pela editora Dracaena eu confiei a eles o desenho da capa, tive apenas que explicar como eu gostaria que fosse e o desenhista deles fez. Hoje em dia tenho um amigo que é desenhista, ele é um dos parceiros do telfem.net (Rogério Júnior) e provavelmente caberá a a ele fazer a capa dos próximos livros.

7. Existem outros projetos em pauta?
Tenho uma trama básica para uma saga de ficção científica que está congelada lá aguardando eu terminar Oldar.

8. Você tem um livro ou autor preferido? Deixe-nos uma dica de leitura!!
Eu sou tolkeniano de alma e coração e de todas as obras dele para mim a mais bela de todas é o Silmarillion, sugiro a todos que gostam de ficção fantástica que o leiam com urgência, mas sem pressa, pois é a uma obra maravilhosa e rica em todos os sentidos.
Rondinelli Fortalesa para o Foolish Happy.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Quem gostou levanta a mãozinha! \o
Quer conferir as outras entrevistas? Eu facilito a tua vida :) É só clicar aqui para ver a primeiríssima entrevista com o Marcelo e o Rafa e aqui para ver a segunda entrevista feita com o Maurício e a Jéssica. Eu afirmo que todos os autores parceiros que me responderam a tais perguntas são INCRÍVEIS!
Obrigada por lerem o post. Amo vocês <3

6 comentários:

  1. Oi, gostei muito da entrevista, tanto das perguntas quanto das respostas, ambas muito legais e interessantes. Eu ainda não conhecia o autor, mas gostei do trabalho dele.

    Abraços
    http://entrepaginasdelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Gostei bastante da entrevista. Afinal, é sempre bom conhecer mais um pouco de cada autor!
    Beijos!

    http://beyondofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Ótimas entrevistas Tainara! Não conhecia o livro do Fábio Paulo, mas já li o do Rondinelli, Oldar, e não curti muito. Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Muito legal ás entrevistas!
    Eu gostei, é muito interessante conhecer um pouco mais sobre os
    autores... O livro "Oldar", meu chamou a atenção; me pareceu ser um ótimo livro!
    Gostei! :DD

    Jader Monteiro
    http://cinco-datarde.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Adorei o blog, muito lindo, amei tudo Parabéns mesmo, vou sempre estar aqui (:

    ontendency.blogspot.com

    ResponderExcluir

© Cultura e Donuts - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Tainara Rodrigues de Figueiredo.
Tecnologia do Blogger.